sábado, 20 de abril de 2013

M17 - A nebulosa Ômega e a Lua e a luz Cinérea.

Aproveitando o céu limpo tenho aproveitado para fazer fotos da região da Via Láctea, e o alvo da vez foi a nebulosa Ômega. Apesar de estar focado nessa região do céu, não resisti a lua com seu lado escuro iluminado pela Terra, num fenômeno chamado Luz Cinérea.








A M17 ou Nebulosa Ômega, também é conhecida como Nebulosa do Cisne, Nebulosa da Lagosta e nebulosa da Ferradura, é uma rica região de formação estelar, localizada na constelação de Sagitário a cerca de 5 a 6 mil anos luz da terra.

Eu sinceramente não consigo ver um Cisne e nem uma ferradura nessa nebulosa, mas a lagosta é bem nítida pra mim. hehe

Foi quase 1 hora de exposição, em vários ISOs diferentes. Fiz alguns frames de 1 minuto e 10 seg e 1 min de exposição em ISO 800 e 1600, e o restante foi de 30 segundos em ISO 400, 800, 1600 e 3200.

Mandei o DSS processar os 90% dos melhores frames e no fim deu 55min e 40seg de exposição, mas não sei exatamente quais frames acabaram descartados.


No dia 17/04 a lua estava crescente e próxima ao horizonte quando comecei a fotografar o céu, então reparei que estava com a luz cinérea e tentei uma experiência que para primeira tentativa foi até bem sucedida.

A luz cinérea é o fenômeno que o brilho da Terra ilumina o lado escurecido da lua, deixando ligeiramente visível essa parte mais escura.

Fiz duas fotos, uma de longa exposição para conseguir capturar com nitidez a parte escura da lua, e a outra com exposição mais curta para capturar mais detalhes das crateras. Por fim uni as duas fotos no Photoshop criando uma única imagem.

A única coisa que não gostei muito na foto foi desse halo causado pelo brilho excessivo da foto de maior exposição, mas com o tempo vou tentar aprimorar essa técnica.


Acompanhe minhas fotos no Facebook. Curta a página astrofotosbr no face.